25 agosto 2010

♪ You are the only exception ♪

Sabe quando a gente acha que nunca mais vai gostar de estar na companhia de alguém?

E de repente surge alguém que faz o dia ficar bonito mesmo caindo o maior temporal na rua?!?
Surge assim... do nada... sem avisar... sem ao menos avisar... e tão de mansinho que quando eu percebi, já estava ali e não tinha mais nada que eu pudesse fazer, ou quisesse fazer...
E sabe quando só a companhia (que não é pouco) é boa e basta?!
É boa pq faz bem, é boa pq faz muito bem!
E faz bem por todas as outras coisas que vem junto...

Ta certo que habitualmente eu invento/vejo algum motivo pra acabar de vez com isso... ser feliz é tão bom, mas não ser é bem mais fácil... e nesse único caso eu sempre prefiro o mais fácil! Eu sempre gostei de ímpar e de singular... plural só pras coisas que não digam respeito ao coração, mas sim em relação às sensações, emoções, otimismo e ao meu exagero peculiar!

Há muito tempo, muito mesmo, eu decidi que qualquer coisa que dissesse respeito ao coração seria nada mais que NADA... eu desisti antes de tentar, e sempre escolhi ser sozinha, ainda que cercada de pessoas, ainda que com alguém... Não sei explicar isso, nunca sei!
E se um dia eu souber explicar... ainda assim, não vou saber como o fazer...
Mas sei lá como ele atravessou a minha armadura, e se instalou...

Não quero NADA além disso... e eu sei que será BREVE... quando eu olhar pro lado mais atentamente, eu sei que não terei mais isso... E sabe que não me importo?
Não me importo pq eu sei que é assim, e que assim vai ser!
Mas fico triste quando penso nisso... e é justamente por isso que eu não gosto de me acostumar com as coisas boas, elas deixam saudade quando vão embora, mas ir embora faz parte da chegada!
E tem tantas coisas que eu já gosto...

Gosto do jeito dele me olhar;
Gosto do sorriso dele;
Gosto do abraço forte;
Gosto de dormir no braço dele, junto, bem juntinho, de um jeito que só ele sabe me encaixar;
Gosto de ouvir o ‘bom dia’ dele;
Gosto de ter a atenção dele;
Gosto do beijo dele;
Gosto quando ele me chama de chata;
Gosto quando ele fala que gosta de estar comigo;
Gosto que cada dia ele me deixa mais encantada por ele, ainda que eu tente resistir, ainda que eu tente negar, ainda que eu finja que não... e ele sabe, e eu sei que ele sabe que eu faço isso, e que eu faço isso por pura proteção e ingenuidade que isso funcione... huahuahuahua

E nem vou comentar sobre TODAS as outras sensações ‘aquelas’ que eu nunca tinha sentido antes, que só ELE sabe fazer, não sei como... (faz de novo? :p)

Quero que fique claro que eu não to pedindo nada, nada mesmo em troca...
E eu agradeço todos os dias por ele ter entrado na minha vida e ter devolvido tanta coisa que eu já nem sabia que ainda existia em mim... a delicadeza, dar atenção pra alguém, ser carinhosa, cuidar e deixar cuidar... fazer jantinha, chocolate quente, massagem... coisas que provam o bem que ele me faz, e que eu tento retribuir assim, meio sem jeito, mas com todo o carinho! Eu já não fazia isso pra ninguém há tanto tempo, há muito já tinha desaprendido o jeito...

E além de tudo isso que não é pouco, eu tenho por ele um carinho incomensurável, uma amizade incondicional, uma admiração infinita... tudo num superlativo clichê, que chega a me enjoar... mas ao invés do enjôo, eu acho graça!

Então, por tudo o que eu escrevi é que eu sei que não vou lamentar quando não tiver mais tudo tudo... e enquanto esse dia do fim não chega... eu aproveito!
Depois eu recordo!
Mas lamentar... jamais!

Nenhum comentário: