17 setembro 2013

O abraço...


Ela não sabe definir se a beleza estava no relacionamento dos dois, no sentimento dela por ele, ou na fantasia...

Ela só sabe que por muito tempo aquele abraço curava tudo e mais um pouco!

Depois daqueeele abraço todos os outros perderam a graça: ela entrava em transe, era remetida pra um mundo paralelo, onde o tempo e o espaço não tinham medidas, pois tudo era eterno, tudo era infinito, tudo era intenso, e aquele momento era tudo o que eles tinham...

Hoje quando ela lembra do abraço dele ela chora: de saudade, de carência daquele abraço, daquela vontade dos dois...

E ela espera que um dia essa lágrima cicatrize...

Nenhum comentário: