17 junho 2015

Que lástima pero adiós

Amor, (hahaha...)

Cada vez que te chamo de 'amor', o faço de sentimento aberto e suspiro na ponta do coração, mesmo que às vezes pareça similar ao ar de deboche! Mas é que essa rapidez de fluidez entre nós, tritura minha retórica pseudo 'não' romântica...

Sou grata por devolver-me uma disposição para o afeto a qual eu já estava não dedicada, nem sujeitaE queres saber? Eu vejo a olho nú que a minha entrega tem sido fácil e rápida, mas não consigo ir contra a atmosfera que se forma... Tudo conspira a favor quando estás perto, as leis da física se unem para o meu desespero, e para meu encanto... E eu me debato e resisto nos 3 primeiros segundos, depois eu quero mais e tudo...

Já nos momentos subsequentes, falo coisas pra quebrar aquela fofura toda que me comove e convence tanto... Acho que tem funcionado! Tem???

Quando estamos juntos eu sinto tudo tanto até esgotar, para que durante a semana a indiferença venha fazer de sua morada um lar que nunca será doce... É uma estratégia!

Ah, e meu cuidado contigo é tão delicado que cuido - instintivamente - em não mais te desagradar quando vejo futebol contigo, como no último gol do Brasil X Perú que não olhei para a TV no grito histérico do Galvão Bueno, e assim, não interrompi o beijo que da minha parte era desejo e ardor e 'quase' completo...

Ok... Eu ainda não seria capaz de por ti tomar banho gelado no inverno (hehehe), mas estudaria sobre aviões e afins só para podermos falar mais de um assunto que faz teu olho se abrir e sorrir...

E né, eu sei que estou indo além, e que hora dessas o caminho de volta é a única saída, e sei que estou quebrando o pacto que desde o início foi tão evidente, mas não quero nada além da reciprocidade que cabe no nosso instante... E que seja breve ou eterno, ou que nem isso ou aquilo, mas que seja o que tiver que ser na intensidade que já é... Não quero mais economizar 'querer bem', e devo-te isso com tanto e todo o prazer...

Ahhh, eu normalmente respondo em duplicidade para mostrar que a minha atenção é plural e atualmente tão tua...

E por fim, é ruim porque é bom, e para mim não faz mal, mas se sair 'daqui' eu acho que estraga...

Então melhor acabar aqui ou logo, já virou texto, já está sólido... Preciso diluir com duas pedras de gelo, por favor!

Nenhum comentário: