09 agosto 2010

Uma volta ao passado!

Não gosto de viver no passado, meu tempo é o presente, sempre!
Mas hoje eu recebi um pedido, pra que eu colocasse aqui, novamente, a história mais mais do blog, e da minha vida... foi um pedido em meio a um carro e outro, pessoas na rua, e eu caminhando em direção ao mercado:
-Tudo bem?
- Tudo bem sim, e contigo?
- Vivendo...
- Tu ta diferente.
- Cortei os cabelos e escureci... deve ser isso!
-Não, alguma coisa no teu olhar, não reconheço mais!
- A vida é pra frente, os olhos que tu conhece são aqueles do passado, mas eu sempre lembro de ti, tu mora aqui dentro, nunca vou te tirar daqui.
- Agora eu reconheci. Tu ainda tem o blog?
-Tenho...
- Reescreve a história 'aquela'?
- Pq, é só ir lá e ler... 2007... faz tempo! hahaha ... Mas tudo bem... eu reescrevo, andei pensando nisso mesmo, acho que de tempos em tempos eu vou fazer isso. Pode olhar, de noite ela estará lá!
Bla bla bla...
- Tchau, bom te ver!
-Beijo, muito bom te ver!

21 Janeiro 2007
Uma paixão platônica! (Parte I)

Falando em amor...
Não sei muito bem o que é...
Não sei dar uma definição exata...
Tenho certa dificuldade em reconhecer e lidar com os sentimentos...
Mas conheço bem as sensações...

Vou contar uma história...
Ela era uma menina de 12 anos... Ele um menino de 11...
Não sabiam nada sobre amor, paixão, desejo...
Mas tinham uma vontade incontrolável de estarem sempre juntos... e estavam!
Uma grade os separava...
O máximo que aconteceu pela grade foi a mão dele tocar na mão dela...
E assim foi por uns 3 anos consecutivos...
Ele assobiava e ela corria para frente da casa...
O horário era sagrado... o encontro era certo!
O coração acelerava... a respiração ficava difícil de controlar...
Eles ficavam horas e horas conversando com olhares...
A grade que os separava era imponente e absoluta...
E a paixão tornou-se platônica...
Ela tinha medo de perder o encanto...
Ele tinha medo que ela perdesse o encanto...
Então eles cresceram e de repente os encontros não mais ocorreram.
Todas as vezes que eles se encontravam pela rua ela baixava a cabeça.
Ela se orgulhava daquela história.
Então os anos passaram... exatamente 19 anos!
Em uma bela noite eles se encontraram... ela não teve tempo de desviar o olhar...
Ela – uma mulher!
Ele – um homem!
O coração reconheceu e disparou como antigamente!
Conversaram por horas e horas... mas não o suficiente para colocar toda a conversa em dia!
Falaram sobre o passado...
Em algum instante ela sentiu-se com 12 anos novamente... e teve medo!
Medo de perder o encanto...
Ele olhava nos olhos dela... e ela sempre desviava...
Ele falava coisas bonitas e ela fingia que não acreditava em nada!
Ela tentou colocar aquela grade no lugar de novo...
Ele pela primeira vez não se importou com a grade...
Foram 19 anos idealizando aquele momento...
Ela nunca imaginou que um dia eles estariam novamente frente a frente... aliás ela nunca quis!
Para ela bastava imaginar, sonhar, lembrar... bastava...
Ela tinha medo que ele não fosse como ela o criou...
Ela tinha medo que ele frustrasse toda aquela expectativa...
Ela tinha medo de perder aquela história... a mais bonita de todas elas!
Eles continuavam a conversar e o tempo já não tinha tanta importância...
19 anos que não fizeram a menor diferença naquela hora...
A cumplicidade era a mesma... ou ainda maior...
Entre eles existia um afeto inabalável... algo que ela não conseguia entender...
Como pode... eram crianças... nada aconteceu... não deveria ter importância...
Mas tinha...
Ela estava aflita... os olhos não fixavam... ela olhava para os lados buscando uma explicação... em vão...
Na realidade ela buscava uma saída... ela queria fugir...
Ele estava somente ansioso... mas seu olhar era de tranqüilidade...
Ele passava a mão nos cabelos dela, no rosto, beijava a sua mão, falava ao seu ouvido...
Ele contava detalhes daquela época que ela não lembrava...
Ela nunca imaginou que para ele também era importante....
Ela nunca imaginou que ela não sentia sozinha...
Em volta... barulho de música alta.... movimento descontrolado de pessoas, num vai e vêm incessante...
Mas eles não estavam ali... estavam em um outro lugar... e nesse outro lugar só tinha espaço para os dois...
Então ele a abraçou e ela já estava exausta de tanto resistir... ela se entregou...
Perdeu o medo...
Se eles soubessem... talvez não tivessem esperado tanto...
Mas se não tivessem esperado tanto... talvez a história não fosse a mesma!
Mas foi só um beijo... o primeiro beijo... um longo beijo... Todas as sensações de uma só vez!
Foi uma noite inesquecível!
As estrelas estavam todas no céu, e o céu brilhava como nunca!
Eles ficaram juntos até o sol nascer...
E nunca um sol nasceu tão forte, tão belo, mas tão suave...
Todas as palavras ficarão guardadas para o resto da vida...
Então ela se foi... se despediram...
O último beijo...
Quando ela chegou em casa, dormiu, sonhou e acordou...
3 mensagens no celular...
Ela ficou feliz, acordou feliz, estava irradiante...
Naquele momento ela decidiu que agora sim ele fazia parte do passado... um doce e lindo passado!
Agora sim só em sonhos...
Uma lágrima no rosto e um sorriso no coração...
O improvável realmente acontece... obrigada Nuno... obrigada!

Nenhum comentário: