10 janeiro 2007

Sentimentos sem nome!

Estava aqui sentada e de repente resolvi sair...
Peguei a chave e fui ao mercado da esquina.
Nem sabia o que comprar, mas queria alguma coisa...
Olhei as prateleiras... pensei... queria algo mas não sabia o quê... como sempre!!!
É até engraçado... eu sempre quero alguma coisa que não está diante dos meus olhos...
O moço do mercado perguntou se eu precisava de ajuda.
Mas ‘ajuda’ não é bem o que eu preciso... respondi que não, e agradeci, é claro! Sou educada.
Então resolvi fazer um telefonema, mas também não era bem isso...
Não era bem aquele telefonema...
Então, peguei três cervejas e duas carteiras de cigarro... paguei e fui embora!
No meio do caminho, refiz o telefonema... contei o meu dia e desliguei!
Eu tenho certa dificuldade em lembrar da fisionomia das pessoas...
Não em reconhecer, mas pensar e lembrar...
Mas eu consegui... tem uma fisionomia que não sai da minha cabeça...
Lembrei do nada e consegui fixar...
Pensamentos...
Sincronias...
Palavras...
Desencontros...
Grande encontro...
Liberdade...
Minhas asas...
Suspiro...
Frio na barriga...
Sensações...
Imagem...
Estou feliz... 2007 está com um ar de coisas boas... mesmo que sejam só sensações!
Alguém sabe o que é não estar aflita?
Paz... ainda que não tenha tudo o que eu quero... sensações me bastam...
Depois que parei de negar, tenho me sentido (pausa)...
Leve... posso tudo o que eu quiser... meu pensamento voa alto... asas!
E não sofro, não me culpo... sinto!
Mas não espero... ou sim... 2007!

4 comentários:

Anônimo disse...

repousa
deixa-te repousar
...e verás que saberás que nome esse/esses sentimentos têm...
encontra-te primeiro para depois te perderes novamente...

deixo uma brisa do mar para te ajudar...

sónia disse...

(o comentário de cima é meu..enganei-me)

Rodrigo Azevedo disse...

O mais dificil durante o ano, é colocarmos em prática aquilo que realmente queremos e precisamos fazer. Há muito tempo, mas faltam ações. Doideira né?

Também tenho problema em lembrar a fisionomia das pessoas! Coincidentemente, hoje, no Shopping, uma moça se aproximou, me deu um um beijo no rosto e perguntou se eu estava bem. Respondi que sim e em seguida ela saiu andando.

Depois de um tempo é que consegui lembrar que ela estudou comigo e hoje é colunista de um jornal local. Pode isso?

nuno portmore disse...

Asas.

Às vezes sou avião... turbolento viajante de céus despidos de nuvens.

Mas as asas que me dizem mais... são as que nos levantam o corpo apenas 5 centímetros acima do chão. São as asas que nos dizem que pertencemos, que temos em nós as respostas que nos farão encontrar o rumo certo... ser felizes.

Custam a nascer... mas quando brotam... quando as sentimos de verdade... não existe temporal que nos encolha, não existe tormenta que nos afunde.

Sabes... o sabor de boas sensações é único. Vale por si só. Custa a chegar aos nossos lábios. Mas quando chega... é de aproveitar. E acordar todos os dias... bem cedo... para ser... ou reconhecer.

Um grande beijo