15 fevereiro 2011

Às vezes o que escrevo é uma resposta a um estímulo externo, a maioria das vezes é uma resposta a muitos dos estímulos internos!

Por mais que as pessoas achem, pensem, concluam, conjecturem a meu respeito, o certo é que o que elas acham é um problema só delas... e são poucas as opiniões que viram problemas meus! Até pq o que as pessoas acham tem mais a ver com o que elas tem dentro delas mesmas, do que com o que eu tenho dentro de mim!

O que eu sou é tudo o que eu sinto, muito do que eu falo, muito do que eu calo e pouco do que os outros acham... é assim comigo, é assim com qualquer um!

Mas uma coisa é certa: "Assim como a água reflete o rosto, o coração reflete quem somos nós."

Por mais que eu já tenha cometido erros (e faço isso constantemente) NUNCA me arrependi de qualquer decisão importante que eu tenha feito, nunca me arrependo ou me arrependi do rumo que minha vida toma ou tomou como resultado do meu livre arbítrio somado às coisas todas do destino!

Eu complico minha vida constantemente, pq exijo de mim mais coragem do que normalmente as pessoas exigem de si mesmas, é uma espécie de prova de fogo, algumas vezes é pura auto-sabotagem, mas tudo sempre somente relacionado a mim, ainda que afete os mais próximos. Pode parecer um tanto egoísta pra quem vê de fora, com a mente fechada e visão curta, mas se a vida é minha... a vida é minha!

É dessa forma que vou construindo minha história, com linhas tortas, letra de forma ou não, rabiscando, passando a limpo, mas não arranco folhas, e não tenho garrancho... tenho sempre mais sorte que juízo, mais otimismo que pessimismo, mais verdades que mentiras, sei mais de mim do que sei dos outros, e tenho muito mais tesouros do que entulhos!

Quando eu olho pra trás eu tenho a exata noção de que tudo me tornou uma pessoa melhor... não tenho o coração amargurado, sei sorrir sem ter motivo, choro por tristeza ou raiva, gosto da solidão, gosto da minha companhia, me adapto e me readapto sempre que necessário, e hoje, mais que nunca, sei a preciosidade de se ter alguém do lado, ao lado ou por perto... pode ser um amigo, um amor, um conhecido ou um estranho que fique perto com energia boa, boas intenções no coração e verdade no olhar!

Aliás, hoje - MAIS QUE NUNCA - eu dispenso o tapinha nas costas, as críticas disfarçadas de julgamentos, os olhares tortos, ranço, mal humor e gente com energia desagradável!

Tenho ótima memória para lembranças boas e ruins, e por isso eu sou sempre grata a quem me estendeu a mão, me deu um sorriso sincero, um abraço aconchegante, uma palavra de carinho, um puxão de orelha honesto... as lembranças ruins e pessoas que não me fizeram bem, me fizeram mal ou pretendem/pretendiam isso, ficam num arquivo totalmente à parte e só pra registro, pq é sempre bom ter um arquivo de alerta!

Posso mudar de opinião mil vezes sobre o mesmo assunto não por leviandade ou por ser volúvel, mas pq eu me permito ver a mesma coisa por todos os ângulos, no raso ou no fundo, nos cantos, e não tenho uma mente limitada e isso me faz tão livre que só quem sabe do que estou falando, sabe exatamente do que estou falando!

Não preciso fazer sentido, minha lógica respeita meus próprios padrões mentais e emocionais e tudo isso é muito peculiar, gosto de gente, gosto de gente com conteúdo, gosto de gente bem humorada, não gosto de gente carrancuda e que passa reclamando da vida, normalmente são pessoas limitadas com um umbigo quase maior que o ego, visão microscópica, coração rasinho e por aí vai... conheço aos montes!

Sei pedir desculpa, sei ouvir... mas não grite comigo pq normalmente eu reajo da mesma forma; sei dos meus erros; sei das minhas coisas; sei das consequências que tudo gera, e penso sempre muito sobre tudo; tenho ojeriza às críticas inúteis, julgamentos de todos os gêneros, conceitos e pré-conceitos vazios, pequenos, egoístas e maldosos; e bem bem habitualmente me deparo com tudo isso... às vezes eu retruco, às vezes eu apenas  penso: "Quem será que ela/ele pensa que é? Não controla o próprio peso... não tem a vida que sempre almejou ter... não tem bondade própria e muitíssimo menos alheia... não faz nada de útil, produtivo... vive nas costas dos outros... e ainda ACHA que pode julgar os meus erros, dar palpite na minha vida? VSF!!"... são esses e outros tantos pensamentos que eu tenho acerca da vida dos outros que pouco ou nada me dizem respeito e que só penso quando sou colocada na mesma condição de 'jurada'... pq todos fazemos pré-conceitos, todos fazemos julgamentos e todos temos algum tipo de preconceito... não conheço NINGUÉM isento de algum, alguns, ou muitos defeitos!

E quando eu começo a reproduzir esse tal comportamento julgador, querendo contornar qualquer coisa minha com erros e defeitos dos outros eu logo dou um basta, pq o que não me diz respeito, o que não me acrescenta, o que não me atinge... bem pouco ou nada me importa e tudo se transforma em exercício auto-reflexão!

Com alguma periodicidade eu me coloco num 'recipiente' apertado, fechado e escuro... é o meu ciclo... depois eu volto com mais vontade de tudo, de vida, de liberdade, de coisas boas, com coração mais alegre, mais grato, mais bondoso, com nova disposição e com mais espaço dentro de mim pra tudo de novo e bom que eu queira me acrescentar... é assim... sempre vai ser... 

Eu gosto de mim e é mais ou menos assim que eu me vejo!
E tu tens alguma noção a teu respeito??

Nenhum comentário: